RSS

MOÇÃO DE REPÚDIO À ADMINISTRAÇÃO DA UNIFAP

03 jul

 Em Assembleia Geral de 29/06/2012, os professores da UNIFAP decidiram manifestar seu repúdio à forma arbitrária como a administração da instituição encaminhou e decidiu a realização do PARFOR 2012/1. Os gestores da UNIFAP contrariaram a decisão tomada em 05/06/2012 pelo CONSU, órgão máximo da instituição e superior ao reitor, que suspendeu o Calendário Acadêmico da universidade. Nesta reunião, cursos e programas como Educação Indígena, Educação do Campo e PARFOR, passíveis de execução nas férias devido ao seu calendário acadêmico modular, não foram considerados distintos da graduação regular e, portanto, não constituíram exceção à greve.

A administração alegou pressão da CAPES para a realização do PARFOR. Mesmo sabedores desta pressão, entendemos que os gestores da UNIFAP, lastreados na autonomia universitária e em respeito às deliberações de seu órgão máximo e de seus servidores e alunos, deveriam ter se posicionado em defesa da instituição e daqueles que a compõem. A posição assumida pela administração, além de desobedecer ao CONSU e submeter a instituição aos ditames da CAPES, fere o direito de igualdade dos alunos da UNIFAP ao tentar assegurar que um grupo de alunos tenha aula em detrimento de outros. A administração deveria ter resistido à pressão da CAPES. O PARFOR não seria prejudicado, pois, assim como os demais cursos, adaptaria seu calendário na reposição de aulas. A CAPES buscará formas de atender as excepcionalidades, ou simplesmente deixará de cumprir com o que é o seu papel, que é estimular e não punir.

Lamentavelmente, o sucateamento progressivo e crescente do salário e das condições de trabalho dos profissionais da educação, fragiliza esses profissionais que, por bolsas e outros meios, tentam obter uma renda complementar. Tal situação nefasta contribuiu para a decisão de alguns docentes em participar do PARFOR, em detrimento de seus próprios interesses e da pauta nacional de reivindicação em defesa da universidade pública.

A pauta de reivindicação docente é justa e a greve é um momento de participação geral e coletiva, suas consequências afetam a todos os cursos e programas da instituição. Ser conivente com as ações que prejudicam o movimento grevista é uma atitude que contraria as reivindicações locais e nacionais daqueles que defendem a universidade pública, gratuita e socialmente referenciada. Infelizmente, esta é a postura da atual administração da UNIFAP.

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 03/07/2012 em Uncategorized

 

Uma resposta para “MOÇÃO DE REPÚDIO À ADMINISTRAÇÃO DA UNIFAP

  1. Jairo

    04/07/2012 at 21:34

    Caros colegas do Amapá. Aqui na UFPA, as coordenações e direçoes de faculdades tem desrespeitado da mesma forma a deliberação da categoria a revelia dos resultados das assembléias docentes. Isso aconteceu na capital – Belém e infelizmente, aqui no campus de Marabá, os docentes fragilizados por razões claras cederam as pressões e votaram a favor da continuidade do programa. A votação foi apertada a favor do Parfor acontecer (22 a 19 contra). Lamentável. Nossa situação está mais do que precária é desesperadora. Não reconheço mais os companheiros que tem discurso, mas fogem a luta.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: